Em média, uma hora de natação a velocidade moderada permite queimar entre 500 e 600 calorias. O que já é muito bom, convenhamos!

Não acha suficiente? Tentemos sem mais demoras orientar os nossos treinos de forma a ultrapassar este número mas sem forçosamente passar mais tempo na piscina!

VARIAR OS ESTILOS

A variedade é ao mesmo tempo amiga do prazer e inimiga da caloria !

É óbvio que a duração e a intensidade da sua sessão ajudarão a determinar o número de calorias queimadas. No entanto, diversificar as sessões alternando os estilos, os exercícios e a velocidade não é muito complicado de pôr em prática, e favorece no entanto o gasto de calorias.

É importante em primeiro lugar habituar o corpo ao esforço, caso contrário poderá perder menos calorias que anteriormente. Os hábitos ganham-se muito rapidamente e é fácil cair rapidamente na facilidade...

Para além disso, mudar de estilo permite fazer trabalhar de forma homogénea todas as partes do corpo. Alterando três ou quatro estilos durante um mesmo treino permite aos seus grupos musculares  trabalhar eficazmente e assim queimas muito mais calorias.

Para informação, os estilos  que suscitam um esforço mais intenso e completo do corpo e que consomem por isso um máximo de calorias são o bruços e a mariposa.

natação oferece-lhe quatro estilos que poderá multiplicar por um número imenso de exercícios com ou sem material de treino.

Imagine as possibilidades!

VARIAR O MATERIAL

E trata-se mesmo de o variar! Não serve de nada colocar um pull buoy, prancha, placas, barbatanas e mais um elástico de natação ao mesmo tempo!

Para queimar um máximo de calorias durante as suas sessões de natação, a utilização variada de material de treino é tremendamente eficaz.

Com efeito, o uso de barbatanas ou de placas de natação (entre outros), favorece notoriamente a concentração sobre a técnica de natação e a qualidade dos movimentos. Esta tomada de consciência dinâmica dos músculos permite melhores resultados a longo prazo.

Também, os materiais de treino proporcionam uma resistência suplementar, não negligenciável, à água, amortizando o seu hidrodinamismo e travando por isso o seu deslize. Ao contrário do que se possa pensar, isto é positivo para o treino uma vez que terá que redobrar o esforço para efetuar o mesmo gesto.

E como sabemos, quanto maior for o esforço, mais calorias são perdidas!

 VARIAR O RITMO E A INTENSIDADE

As mudanças de intensidade, de velocidade e de ritmo são na natação como em todos os desportos, uma forma infalível de queimar um máximo de calorias, uma vez que o seu corpo deverá ajustar-se rapidamente. Tal como na corrida, o fracionado é sempre um valor seguro!

Os tempos de repouso são igualmente um critério importante a ter em conta. Tem duas soluções para queimar um máximo de calorias via os tempos de repouso:

Se reduzir estes entre cada série ou piscina, o seu ritmo cardíaco deverá adaptar-se rapidamente o que leva a uma queima eficaz de calorias, sem forçosamente nadar durante mais tempo.

A melhor das soluções é de qualquer forma a recuperação ativa. Manter-se em movimento permite-lhe manter as pulsações cardíacas num certo nível, o que favorece o gasto calórico.

Um dos métodos mais clássicos de repouso ativo é as “costas com dois braços”. Permite, em 50 ou 100 metros, relaxar r os músculos, efetuando sobre as costas, as pernas de bruços e ciclos de braços com os dois membros superiores em simultâneo.

Deixe entrar a diversificação nas suas sessões de treino ! Para além de quebrar a rotina, se todas as condições estiverem reunidas, poderá, se estiver na sua melhor forma, atingir as 700 ou mesmo 800 calorias perdidas por hora! Impressionante, não é?

regis

RÉGIS

NADADOR NACIONAL & LÍDER COMUNICAÇÃO

ESTES CONSELHOS PODEM SER DO SEU INTERESSE