INSPIRE, EXPIRE, RESPIRE!

Uma explicação detalhada sobre as técnicas de respiração nos quatro estilos de natação, para um melhor conforto aquático!

inspire-expire-respire

Mariposa

A mariposa é um estilo de natação difícil tanto ao nível muscular como respiratório. A verdadeira questão reside na coordenação dos movimentos para poder respirar no momento certo.

A procura de ar é realizada com a boca , no final da tração levantando a cabeça de modo a olhar a superfície da água . Deve ser feita de forma rápida para que a cabeça volte de imediato ao lugar inicial mantendo o melhor equilíbrio de natação  possível.

Utilizando esta técnica de «hidrodinâmica» é normal respirar a cada dois movimentos dos braços. Já a expiração deve ser feita de forma contínua através do nariz e da e da boca quando a cabeça está dentro de água.

Costas

O crawl de costas  é um estilo de natação que exige bastante esforço por parte das pernas para que seja possível manter uma boa flutuação e horizontalidade. Os membros inferiores são os que mais oxigénio consomem e por isso é muito importante existir uma boa respiração.

No estilo costas, o rosto mantém-se à superfície, o oxigénio é por isso mais fácil de obter. A dificuldade neste caso está mais associada ao ritmo respiratório do que à procura de oxigénio propriamente dita. Em função da frequência de movimento, o ciclo respiratório será mais ou menos rápido.

A expiração deve sempre ser completa para que a inspiração realizada pela boca  posteriormente seja mais eficaz e forneça a maior quantidade possível de oxigénio  ao organismo.~A inspiração é assim feita durante a fase de regresso de um braço, e a expiração no final da fase de regresso do outro braço.

Todos os movimentos estão no ritmo!

Bruços

E por «bruços » estamos a referir-nos obviamente à«técnica de bruços»!

A vantagem do estilo bruços é o facto de a respiração ser feita durante cada movimento, o que permite um fornecimento de ar regular e, assim, uma respiração menos ofegante.

A inspiração é feita através da boca , durante a tração dos braços, quando os apoios na água permitem o regresso do corpo e as pernas preparam o seu impulso. Tal como acontece no estilo mariposa , a cabeça levanta-se para olhar em frente e a inspiração deve ser breve. No caso da expiração, esta deve ser longa e contínua durante toda a fase subaquática.

Vamos fazer bolhinhas!

CRAWL

A técnica de respiração no estilo crawl  é, sem dúvida, a mais delicada de dominar. Ela impõe, efetivamente, uma rotação de cabeça para o lado que pode facilmente prejudicar o equilíbrio e a técnica de natação.

No crawl, a inspiração é feita para o lado direito ou esquerdo ou alternando os dois lados. Mais uma vez, esta respiração deve ser breve de modo a voltar a colocar a cabeça direita na água o mais rapidamente possível.

No entanto, não é necessário colocar todo o rosto fora de água bastando apenas levar a boca até à superfície para poder fazer a inspiração «à tona da água». A expiração, que deve ser sempre contínua, realiza-se quando a cabeça volta à água.

Alguns nadadores preferem nadar crawl a dois tempos para vencerem o cansaço, ou a três tempos para se manterem mais alinhados durante a prática, ou ainda, sempre que um nadador pretende reduzir a sua resistência com a água nadando assim de forma mais rápida.

regis

RÉGIS

NADADOR NACIONAL & LÍDER COMUNICAÇÃO

ESTES CONSELHOS PODEM SER DO SEU INTERESSE