TERMINOLOGIA DA PESCA

Descubra a terminologia da pesca para conhecer melhor este universo tão rico e particular.

A

ADITIVO

Aroma, corante ou líquido que permite modificar o engodo para o tornar mais atrativo.

AGRAINAGE (ENGODAMENTO COM SEMENTES)

Técnica de engodamento que consiste em lançar regularmente sementes ou larvas para a água, à mão ou com uma fisga.

ENGODO

Mistura de várias farinhas que serve para atrair peixes brancos e que é molhada antes da utilização.

ENGODADOR

Utilizado na pesca com gaiola de engodo, é um dispositivo que permite lançar o engodo e que garante a presença do isco nas proximidades.

À INGLESA

Técnica de origem inglesa para a pesca direta com cana equipada com carreto, que permite simultaneamente pescas finas e a grandes distâncias.

ANTENA

Parte situada por cima da boia e que permite visualizar os toques.

ISCO

Qualquer produto destinado a ser colocado no anzol para atrair o peixe

BARBELA

Parte entalhada situada na ponta do anzol que mantém o peixe preso depois da picada ou que impede que o isco se solte do anzol.

ATIVIDADE

Há atividade quando um peixe mordisca ou morde o isco. Traduz-se por movimentos da boia e da ponteira. Quando um peixe está ativo sobre o engodo, surgem à superfície micropartículas.

ENGODAR

Atrair o peixe atirando engodos.

B

BANDEIRA

Comprimento de linha entre a ponteira e a boia.

ESTRALHO

Última parte da linha à qual é fixado o anzol e que tem tradicionalmente um diâmetro mais pequeno do que a linha madre.

BOLONHESA

Técnica italiana de pesca com boia de longa distância, com cana telescópica e carreto, na maioria praticada no rio

LAÇADA

Terminação feita sobre o nylon para unir (laçada dentro de laçada) duas partes de uma linha.

Tenda bivaque

Tenda especificamente concebida para a pesca da carpa. A tenda bivaque é uma tenda para proteção dos carpistas. Por vezes, a pesca da carpa exige uma presença demorada à borda de água, frequentemente em condições climatéricas difíceis.

Boilie

O boilie é uma pasta (composta por várias farinhas) que é fervida para coagular os ovos que entram na sua composição. Esta cozedura em água confere à pasta uma dureza que varia em função dos ingredientes e da duração da cozedura. A cozedura torna os iscos mais duros e uma secagem prolongada endurece-os ainda mais. A pasta é de seguida enrolada em bolas. Este tipo de isco é utilizado principalmente na pesca da carpa

Brolly

Guarda-chuva/guarda-sol para proteger o carpista nas suas pescarias.

C

CABELO

O cabelo é um fio fino que prolonga a linha a seguir ao anzol e permite a montagem de um ou vários boilies ou de sementes (milho, grãos) para a pesca da carpa.

D

DESEMBUCHADOR

Pequeno utensílio para retirar o anzol da boca do peixe.

DETETOR

Pequeno aparelho manual ou elétrico destinado a sinalizar os toques do peixe.

PARTIDA

A partida ocorre quando o peixe morde e agarra o isco e puxa a linha atrás de si.

E

F

FERRAGEM

Movimento dado à cana quando há um toque, para ferrar o peixe com o anzol.

FERRAR

Cravar o ferro de um anzol no peixe que mordeu o isco.

G

GRANULOMETRIA

Tamanho das partículas de um engodo.

H

I

J

K

L

M

TAPETE DE RECEÇÃO

Tapete para a receção do peixe depois de ter sido posto no camaroeiro, para o proteger.

N

O

OLIVETE

Chumbada de pequena dimensão, alongada e em forma de azeitona, utilizada na montagem de uma linha.

P

PVA

O PVA é um material solúvel em água (mas não em óleo). Sob a forma de fios, redes, sacos, bandas, multifilamentos, etc., o PVA permite lançar o engodo com grande precisão perto das montagens.

PALETA

Extremidade achatada no final da haste de um anzol que permite fixar o fio.

Q

QUILHA DE UMA BOIA

Parte situada sob o corpo da boia, concebida para lhe dar estabilidade e que pode ser feita de carbono, metal ou fibra.

R

RAPPEL (MANUTENÇÃO)

Ação de lançar pequenas bolas de engodo para manter o peixe no local.

ROD POD

Suporte de cana para a pesca à carpa que permite instalar 2 a 4 canas em função dos modelos, assim como dos respetivos esquilos, deixando assim as mãos do pescador livres para a fase de espera do toque e permitindo ajustes na inclinação das canas, para melhorar a deteção dos toques e o controlo da tensão e das fricções da linha.

S

PONTEIRA

Ponta da cana.

SONDAR

Ação que permite avaliar a profundidade e o relevo da zona de pesca pelo pescador.

SWINGER/ESQUILO

Instrumento que permite manter a tensão das linhas de pesca à carpa. A sua segunda função é indicar visualmente o toque quando a carpa faz movimentar o engodo.

T

U

V

W

X

Y

Z

PRECISA DA DEFINIÇÃO DE UM TERMO E O SEU LÉXICO ESTÁ INCOMPLETO? ENVIE-NOS UM COMENTÁRIO COM O TERMO EM FALTA PARA O ADICIONARMOS À TERMINOLOGIA!

ESTES CONSELHOS PODERÃO INTERESSAR-LHE:

VOLTAR PARA O TOPO