DESPORTOS DE COMBATE E SENIORES: UMA DUPLA VENCEDORA?

Se lhe pedissem assim de repente para indicar um desporto adequado para um praticante sénior, é muito provável que não pensaria num desporto de combate, correto? E no entanto… Já todos sabemos que a atividade física é (muito) benéfica para os seniores. Mas será que um desporto de combate tem o seu lugar em aulas de desporto para seniores?

 

Desportos de combate e seniores

Comecemos pelos fatores básicos: entre as causas do envelhecimento temos o ambiente (quanto menos nos mexemos, mais envelhecemos) e a genética. A partir dos 50 anos, o homem perde todos os anos 1% da sua massa muscular. Essa perda muscular (denominada sarcopenia) é inevitável.

Má notícia? Não é bem assim.

Qualquer que seja a nossa idade, a nossa atividade física modifica as nossas fibras musculares e pode assim influenciar a constituição dos nossos músculos: nada é, deste modo, predestinado e definitivo !  

POR QUE RAZÃO ALGUMAS PESSOAS PERDEM MAIS MASSA MUSCULAR QUE OUTRAS? 

Envelhecer significa diminuir a capacidade de fabrico de hormonas anabolizantes (as hormonas que favorecem a (boa) constituição dos tecido orgânicos). É triste, mas é assim. Importa, no entanto, ter em conta que existem duas causas para esta capacidade diminuída.

E duas causas em que podemos intervir:

- o sedentarismo. Não há aqui qualquer mistério, a falta de atividade física leva à perda de músculos. Neste caso, existe uma solução. Entre os desportos recomendados, incluem-se nomeadamente a musculação (que não é reservada aos culturistas de 20 anos). Evidentemente, a atividade deve ser adaptada... Mas isto é válido para todas as pessoas, independentemente da idade. Para combater o sedentarismo, também podemos modificar alguns hábitos (usamos por exemplo demasiado o carro, quando a bicicleta seria uma opção perfeitamente indicada para nos deslocarmos em determinados trajetos). Também a jardinagem, brincar com os netos/sobrinhos/sobrinhas... ou mesmo a petanca, tudo vale!

- a carência proteica: o músculo é constituído por 20% de proteínas. E armazena metade das proteínas presentes no organismo! Seja qual for a origem das proteínas (animais ou vegetais), só há um princípio a reter: não devemos seguir dietas hipocalóricas quando se é sénior. A falta de vitamina D pode também desempenhar um papel na perda muscular (as células musculares têm recetores de vitamina D).

E QUANTO AOS OSSOS?

Já não bastava a perda muscular, temos de contar também com outra doença associada à idade: a osteoporose. A osteoporose implica uma descalcificação, que torna os ossos mais frágeis.

Entre as causas desta doença, incluem-se: o envelhecimento, a menopausa, a genética, algumas doenças, o consumo de álcool e de tabaco, alguns medicamentos, uma alimentação com carência de proteínas ou de cálcio, uma carência de vitamina D… A falta de atividade física também é em certa medida responsável: ao ser sujeito a alguma pressão o osso vai sendo também sujeito a um processo de desenvolvimento.

Resumindo, se não solicitar os seus ossos e os seus músculos, estes irão entrar em modo de repouso.~ 

ATENÇÃO: se já sofrer de osteoporose em estado relativamente avançado, não pratique um desporto de combate para evitar riscos de fraturas!

desporto sénior

ENTENDIDO. É ENTÃO NESTE CONTEXTO QUE DESPORTO E SÉNIOR FAZEM UMA BOA PARELHA?

Os benefícios da atividade física são múltiplos:

- um impacto positivo ao nível do espírito,

- uma redução das dores musculares e, assim, um menor consumo de medicamentos,

- uma imunidade estimulada, logo uma maior defesa contra os vírus,

- uma ação contra a artrose: ausência de desporto = perda muscular = articulações que deixam de ser suportadas,

- uma memória treinada: praticar desporto contribui para fazer trabalhar diferentes zonas do cérebro,

- uma maior autoconfiança.

Resumindo, a atividade física permite treinar uma dinâmica positiva (e isto aplica-se a qualquer idade).

No entanto, importa escolher uma atividade física adaptada às suas capacidades e à sua condição física. Antes de tomar qualquer decisão, consulte sempre o seu médico.

E A RELAÇÃO COM OS DESPORTOS DE COMBATE?

Coordenação dos movimentos, lateralidade dos movimentos, propriocepção, tónus muscular, flexibilidade ou ainda trabalho de equilíbrio. Estes são alguns dos contributos dos desportos de combate. Um dos aspetos particularmente interessante para os seniores é o trabalho do equilíbrio. Ora, as quedas representam um grande número de acidentes entre os seniores. E as quedas podem ter consequências graves! Traumatismos, fraturas, síndroma pós-queda, permanência prolongada no chão e suas consequências ao nível dos rins... 

EVIDENTEMENTE, HÁ SENIORES E SENIORES: UMA PESSOA QUE JÁ TENHA DIFICULDADE EM SE DESLOCAR NÃO TERÁ OBVIAMENTE QUALQUER INTERESSE EM PRATICAR JUDO.

O interesse dos desportos de combate, e nomeadamente do judo, está na dualidade de tarefas: praticar uma atividade física E refletir. Aprender a cair sem se magoar constitui então um interesse não negligenciável.  

Podemos distinguir 3 tipos de queda:

- para a frente (saber como proceder - cambalhota para enrolar o corpo fletindo os braços para amortecer a queda - permite evitar uma fratura do pulso),

- para trás (em que tentaremos proteger as vértebras e evitar bater com a parte de trás da cabeça),

- lateral (em que a cabeça do fémur fica exposta).

Com um treino regular, atenuar estas quedas, absorvendo as ondas de impacto, será um reflexo natural.~E um reflexo que poderá evitar uma fratura ! Tentador, não?

INFORMAÇÃO ADICIONAL

Com a idade, as fibras que utilizamos para os movimentos bruscos são as únicas a diminuir. É por isso que os seniores conseguem continuar a caminhar durante muito tempo... mas têm dificuldade a abrir uma garrafa de água. A perda de massa muscular tem um efeito secundário indesejável: menos força = maior dependência.

 

Pense nisso

Antes de tomar qualquer iniciativa, de retomar uma atividade desportiva ou de experimentar um novo desporto, não se esqueça de consultar o seu médico, fisioterapeuta ou outro profissional de saúde... Retomar uma atividade desportiva não deve ser feito de ânimo leve e os desportos de combate, não obstante os seus benefícios, podem apresentar riscos. Antes de tomar qualquer decisão, assegure-se que está em boa condição física.~Poderá também recorrer a profissionais com formação específica em desporto adaptado, para o orientar nos seus planos e necessidades desportivas. Não hesite em falar com eles antes de começar a praticar um desporto que não conhece.

ESTES CONSELHOS PODEM SER DO SEU INTERESSE