APTONIA

GÉIS ENERGÉTICOS E PRÁTICA DESPORTIVA 

Todos os dispêndios físicos implicam um dispêndio energético que é preciso compensar. Os géis energéticos são compostos por nutrientes e micronutrientes que satisfazem as necessidades associadas ao esforço. O objetivo é reduzir o esgotamento das reservas energéticas e, deste modo, reduzir a fadiga durante o esforço. A escolha do gel faz-se em função do esforço e/ou do momento de consumo.

número 1

Necessidades nutricionais durante o esforço

Uma alimentação regular e adaptada durante o esforço permite a re-hidratação, o aporte de sódio e retarda o esgotamento das reservas energéticas, evitando deste modo grandes golpes de fadiga.

A hidratação é a prioridade. Contudo, não podemos negligenciar o aporte energético durante o esforço, podendo proceder de diversas formas:

As bebidas isotónicas têm a vantagem de proporcionar num só produto todos os elementos essenciais para o esforço.

Os géis e as barras energéticas fornecem um concentrado de hidratos de carbono que permite limitar o esgotamento das reservas energéticas. Devem no entanto ser associados à ingestão de líquidos, para responder às necessidades associadas ao esforço.

número 2

Que é um gel energético?

Tal como as bebidas energéticas, o gel é concebido para satisfazer as necessidades associadas ao esforço físico. São geralmente compostas por hidratos de carbono, como glucose, frutose e maltodextrina. Contêm frequentemente outras substâncias: vitaminas e minerais pelos seus efeitos antioxidantes, cafeína para um efeito estimulante e aminoácidos para um efeito protetor.

São interessantes porque são fáceis de transportar e consumir. Os géis energéticos devem ser absorvidos com água, já que são muito concentrados e, nalgumas pessoas, podem provocar problemas digestivos.

número 3

Como escolher o gel energético?

O aporte recomendado durante o esforço para qualquer atividade com mais de 1 h é de 30 g de hidratos de carbono / hora de esforço. Este aporte passa a 60 g de hidratos de carbono por hora se o esforço for superior a 3 horas, ou mais quando o organismo está treinado.

A prioridade é a hidratação. Os aportes recomendados podem assim ser facilmente alcançados com as bebidas energéticas.

Por outro lado, alguns desportistas privilegiam uma alimentação mais sólida durante o esforço, à qual têm de associar o consumo de água. A escolha do gel é assim em função do objetivo.

Os géis energéticos para curta e longa distância são ideais para o acompanhar nas suas sessões de treino ou competição. São compostos por uma base de hidratos de carbono que associa glucose, frutose e maltodextrina. São igualmente enriquecidos com vitaminas, minerais e cafeínas para o acompanhar nos seus diferentes esforços.

     Enriquecimento dos géis energéticos de curta distância

- Vitamina B1 : contribui para um metabolismo energético normal.

- Vitamina B6 e B12 : contribuem para a redução da fadiga.

- Vitamina E e zinco: contribuem para proteger as células contra o stress oxidativo.

O gel energético de custa distância é ideal para os esforços de 1 h a 3 h. Consuma 1 gel a cada 45 minutos a 1 h, associado a água.

     Enriquecimento dos géis energéticos de longa distância

- Vitamina B1 : contribui para um metabolismo energético normal.

- Vitamina B6 e B12 : contribuem para a redução da fadiga.

- Vitamina E e zinco: contribuem para proteger as células contra o stress oxidativo

- Cafeína

- BCAA

O gel energético de longa distância é ideal para esforços superiores a 3 h. Consuma 1 gel a cada 45’ a 1 h a partir de 3 h de esforço. O gel deve ser associado a uma bebida isotónica ou multiplicado para satisfazer as necessidades nutricionais que, recordamos, são de 60 g de hidratos de carbono / hora de esforço se a atividade for superior a 3 horas.

 

Marie Fauchille

"Dietista-Nutricionista, da marca Aptonia"

ESTES CONSELHOS PODEM INTERESSÁ-LO 

VOLTAR PARA O TOPO