Dicas para Viajar de Bicicleta em Autonomia

Sabe qual é a melhor bicicleta para viajar? Descubra a seguir as dicas do nosso parceiro Rui sobre como escolher a sua companheira de aventuras!

Dicas para Viajar de Bicicleta em Autonomia

a melhor bicicleta para viajar é...

Como se costuma dizer, a melhor bicicleta para viajar é a que já temos. Com qualquer bicicleta é possível viajar, pois no fundo o mais importante é a vontade de partir à descoberta.
No entanto, são cada vez mais as pessoas que procuram esta forma de descobrir o mundo e, aos poucos, é também cada vez maior a oferta de bicicletas especialmente preparadas para enfrentar os desafios de viajar em autonomia.

Entre as características que devemos procurar numa bicicleta para viajar, destacam-se a robustez e fiabilidade, a capacidade de colocar alforges e suportar o peso extra da bagagem e, acima de tudo, um elevado conforto para passarmos longas horas a pedalar durante dias, semanas ou mais.

De modo geral, podemos definir as viagens em bicicleta em duas diferentes filosofias:
Touring e Bikepacking, sendo que, no entanto, tudo isto é Touring.
Confuso? Eu explico!

Dicas para Viajar de Bicicleta em Autonomia

TOURING

O Touring é a abordagem clássica: viajar principalmente por asfalto ou caminhos de bom piso, transportando a bagagem em alforges laterais.

As bicicletas aqui mais frequentemente usadas enquadram-se na tipologia Trekking devido à sua polivalência e posição confortável, mas não é a bicicleta que define a atividade e podem igualmente ser utilizadas bicicletas de estrada ou de montanha.

Os alforges têm a vantagem de permitir maior volume de carga e melhor arrumação, mas retiram alguma manobrabilidade à bicicleta, especialmente em trilhos mais técnicos.

Bikepacking 

Por outro lado, o Bikepacking é uma vertente mais moderna e minimalista: em vez de alforges se privilegia o transporte da bagagem em vários sacos e bolsas, dispostos de forma equilibrada em variadas localizações no quadro da bicicleta.

Esta filosofia encontra-se em grande expansão e é principalmente procurada para viagens de menor duração e com um carácter de aventura mais vincado, seja em asfalto ou por trilhos de montanha.

A opção por não usar alforges limita bastante a capacidade de transportar bagagem e obriga a levar connosco apenas o mínimo essencial, mas de certa forma isso até acaba por ser uma vantagem.

Dicas para Viajar de Bicicleta em Autonomia

Não há aqui fronteiras rígidas e tanto os sacos de bikepacking como os alforges podem ser usados de forma combinada para encontrar o setup ideal para cada viagem e cada viajante. O importante é encontrar forma de levar connosco tudo o que iremos precisar nas nossas aventuras.

TOURING E BIKEPACKING NA DECATHLON

No seguimento desta tendência, também a marca Riverside apresentou recentemente uma linha de bicicletas da DECATHLON pensadas de raiz para viajar. Como eles dizem, “desenhadas por viajantes e para viajantes”. E isto diz quase tudo.

São três os diferentes modelos, mas que têm em comum um forte ADN de aventura. A Riverside Touring 520 e a 900 destinam-se a explorar o mundo na vertente mais clássica do Touring, enquanto que a Riverside Touring 920 é o sonho de qualquer bikepacker (ou aspirante a isso!).

Por outro lado também temos a Triban com seus modelos de Gravel que são particularmente completas: podem ser utilizadas em estrada, em todo-o-terreno e em pistas de terra. Fazer ciclismo de gravel, ou todo-o-terreno, é um estado de espírito, é saber que podes ir a qualquer lado e de forma confortável.

Dicas para Viajar de Bicicleta em Autonomia

eu, rui, bikepacker

Quando há pouco mais de 1 ano soube das intenções da Riverside de lançar estas novas bicicletas, a Riverside Touring 920 saltou logo para o topo da minha lista de desejos.
Foram quase 12 meses de ansiosa espera, até que em Dezembro de 2020 trouxe a Número 34 para casa! Número 34? Sim, é que a primeira fornada deste modelo foi uma série limitada a 200 bicicletas e em que todas estão numeradas na pintura. Um pormenor delicioso!

Desde Dezembro, já foram muitos os quilómetros que fizemos juntos, mas com bagagem e em autonomia ainda só viajámos uma vez. Em Abril de 2021, assim que o longo confinamento a que todos estivemos sujeitos nos permitiu, juntei 3 amigos e fomos pedalar 3 dias em total autonomia, em torno do Guadiana Selvagem. Chamei a essa viagem Wild Wild Guadiana e foram vários os posts que partilhei sobre ela no meu blog Portugal Outdoor.
Passem por lá para saber mais!

A MINHA RIVERSIDE TOURING #34

A minha opinião sobre a Riverside Touring 920?

Dificilmente podia estar mais satisfeito!
Adaptei-me muito rapidamente à geometria da bicicleta e, contrariamente a algumas reviews que lhe foram feitas, sinto um controlo enorme em descida fora de estrada, seja sem bagagem ou com os 10 kg extra que levava comigo na volta inaugural pelo Guadiana Selvagem. Na minha opinião, o controlo em descida e trilhos técnicos é até um dos seus pontos fortes.

A bicicleta vem equipada de série com pormenores fantásticos e que fazem toda a diferença. Desde o dínamo que alimenta a porta USB embutida (isso mesmo, podes carregar os teus dispositivos enquanto descobres o mundo a pedalar) ao selim Brooks C17 e passando obviamente pelos 33 (!) pontos de fixação de bagagem distribuídos pelo quadro e pela forqueta de carbono. O guiador com um flare gigantesco permite uma condução brutal, quer em trilhos técnicos, quer a rolar em asfalto, e a relação de andamentos da transmissão (que muitos consideram demasiado curta) assenta na perfeição no meu gosto pessoal.

Dicas para Viajar de Bicicleta em Autonomia

Mas, resumindo... Se procuram uma bicicleta para dar a volta ao mundo, ou simplesmente passar uns fins-de-semana de aventura e descobrir uma região, as Riverside Touring podem ser a vossa companhia perfeita. É só questão de decidir qual das três se encaixa melhor na vossa filosofia de viajar.