SURFAR COM O SEU FILHO: TODAS AS IDADES TÊM OS SEUS PRAZERES

É claro que está impaciente para ultrapassar a line-up e surfar as ondas com o seu filho! Faça-o progressivamente, com descobertas e brincadeiras, para que o seu filho aprenda a controlar o próprio corpo e a desfrutar das suas sensações em pleno respeito pela natureza.

De forma sucinta, há que ter espírito de surfista!

number_1

FAMILIARIZE OS BEBÉS DE 1 A 3 ANOS COM OS ELEMENTOS

Adora o ambiente dos spots de surf à beira-mar. Leve o seu filho consigo para que ele descubra o seu mundo ao ritmo dele. Requisito obrigatório: proteção total contra o sol!

Dominar o mar

Na praia, comece por estimular os cinco sentidos do seu filho, de modo a que aprenda a sentir os elementos: caminhe sobre a areia com ele, ouça o barulho das ondas, respire o vento, observe os surfistas, toque – e prove - a água. Este excelente estímulo sensorial familiarizará o seu filho com os elementos que encontrará mais tarde.

Apropriar-se da prancha

Instintivamente, as crianças mimetizam aquilo que os adultos fazem. É assim que aprendem. Deixe o seu filho brincar com a sua prancha, sobre a areia, claro: deixe-o cavalgá-la ou gatinhar sobre o deck para conhecê-la a fundo. Estas brincadeiras deixá-lo-ão mais à vontade quando estiver na água, pois associará a prancha a algo divertido.

Proteção solar

Independentemente de se encontrar a chapinhar na água ou a brincar na areia, não se esqueça de aplicar protetor solar em todo o corpo da criança. Mesmo que esteja muito calor, cubra-a da cabeça aos pés. Uma exposição não protegida poderá ter consequências nefastas na idade adulta. Mais vale prevenir que remediar!

olaian 2018 surf
number_2

OBSERVE A SUA PRIMEIRA EXPERIÊNCIA DE SURF NA ESPUMA (PARA CRIANÇAS DE 3 A 6 ANOS)

Saber correr antes de saber surfar Antes mesmo de passear pela água, brinque com o seu filho a “caçar a espuma das ondas”: corra com ele em direção à água a recuar e depois volte-se e corra o mais depressa possível para a areia seca, antes que a onda seguinte os apanhe. Risos garantidos e boa aprendizagem do movimento das marés. Saber nadar antes de saber surfar Dedique o tempo necessário a ensinar o seu filho a nadar, com a cabeça acima ou por baixo de água. Desta forma, quanto mais se sentir à vontade, mais facilmente compreenderá a dinâmica das ondas e mais rápida será a sua evolução no surf.

ONDE E QUANDO COMEÇAR?

Evite levar o seu filho a surfar em spots lotados, para que se sinta confortável nas suas primeiras manobras. Evidentemente, o pino do verão é o ideal para começar, mas este período pode variar de junho a setembro. Com efeito, o mesmo dependerá da temperatura da água e da zona geográfica onde se encontre.

PROTEJA O SEU FILHO DO FRIO

Mesmo que a temperatura exterior lhe pareça elevadíssima, o seu filho deverá vestir um fato em neoprene para brincar na água fria (<17°C). Não se esqueça de que as crianças arrefecem muito mais rapidamente do que os adultos, e nada pior para se culpabilizar do que ver o seu filho a tremer de frio. Enrole-o num poncho após cada sessão na água.

CONVIDE UM AMIGO DO SEU FILHO

Uma vez que se sentirá mais apoiado a dois do que sozinho para explorar um spot, deslizar na espuma ou lançar-se num line-up, proponha ao seu filho que leve um amigo para passar o dia na praia. Além disso, a presença de um amigo tranquilizá-lo-á enquanto pai.

number_3

ESCOLHA CUIDADOSAMENTE O SEU EQUIPAMENTO

Um fato de neoprene justo e mais grosso do que o seu Regra n.°1: mesmo que esteja tentado a adquirir um fato um pouco grande para servir à criança durante mais tempo, opte sempre pelo tamanho mais ajustado ao corpo da criança, para evitar a possibilidade de entrada de água. Regra n.º 2: uma vez que as crianças têm tendência a arrefecer mais rápido, não poupe na escolha da espessura do neoprene: se surfar com um fato de verão de 3/2mm ou 2/2mm, escolha um fato de espessura superior para o seu filho: 4/3mm. Prefira a longboard em espuma Uma vez que estas pranchas em espuma - relativamente - volumosas flutuam melhor, são ideais para aprender a surfar as ondas. Mais flexíveis graças ao poliestireno, elas absorvem os impactos, evitando que a criança se lesione. Esta é uma questão importante, pois metade dos acidentes de surf são devidos a embates com a própria prancha. Dependendo do peso e da altura da criança, escolha uma prancha entre 6’ (181cm) e 8’ (243cm). E não se esqueça de a incentivar a usar um capacete de surf.

número 4

AJUDE O SEU FILHO A ENTRAR NA ONDA

É provável que ainda não tenha força suficiente nos braços para remar e conseguir apanhar uma onda sozinho. Por isso, escolha uma janela meteorológica favorável em que as ondas estejam suficientemente pequenas. Poderá então permanecer de pé para empurrá-lo pela espuma e ajudá-lo a lançar-se às ondas. A técnica: segure o tail (parte traseira) da prancha e quando uma onda chegar e rebentar, guie a prancha pela espuma em direção à praia. Não solte a prancha antes de a espuma a ter arrastado suficientemente pela zona de rebentamento, sob pena de a prancha ficar demasiado instável para que o seu filho consiga fazer o take-off.

número 5

USE CAPACETE

Apesar de o uso do capacete não ser obrigatório, é vivamente recomendado para evitar traumatismos cranianos e proteger a cabeça da própria prancha e da dos restantes surfistas, além do ambiente marinho, das rochas ou do fundo. Escolha um capacete leve, com uma boa relação proteção/conforto, eficaz e acessível em termos económicos. E certifique-se de que cobre as orelhas, ainda que permitindo-lhe ouvir perfeitamente.

VOLTAR PARA O TOPO