Independentemente do seu nível de natação, a respiração é o verdadeiro motor do esforço físico. É um elemento técnico ao qual não é, muitas das vezes, dada a importância devida, seja nos treinos ou em competição, quando na realidade merece ser trabalhado. Fora da água, a respiração é feita de forma natural e inconsciente não sendo, no entanto, este o caso da imersão.

A importância do treino respiratório

Durante o esforço, o pulmão é sujeito a consideráveis esforços de adaptação. Quando a exigência de oxigénio aumenta, os pulmões inspiram mais ar e, consequentemente, mais oxigénio. O mesmo fenómeno acontece ao nível da expiração para expelir uma maior quantidade de gás carbónico.

O treino permite aprender a respirar de forma mais breve e profunda e, deste modo, mais eficazmente. Existem exercícios respiratórios que permitem respirar melhor durante o esforço em natação.~Aprender a respirar corretamente pode, por conseguinte, melhorar nitidamente o desempenho.

Em comparação, para efetuar o mesmo esforço físico, qualquer pessoa que treine poderá beneficiar de uma melhor capacidade de utilização da sua respiração e de oxigenação do ar; Permite assim reduzir a frequência respiratória e ter maior eficácia.

Um melhor controlo da respiração será sempre uma vantagem durante o esforço, mas também durante as fases de preparação no aquecimento, bem como durante a recuperação e os alongamentos a seguir ao esforço.

 

A "falta de ar"

Quando o sistema circulatório não consegue transportar o sangue em quantidade suficiente face à necessidade, ficamos com a respiração ofegante. No entanto, não é a capacidade respiratória ou a função respiratória que estão diretamente em questão. Nesta sensação ofegante, o coração desempenha um papel mais importante que os pulmões.

 

Uma má respiração provoca uma má oxigenação. Falamos neste caso de hipoxia. Trata-se de um desequilíbrio entre as necessidades dos tecidos em oxigénio e a entrada efetiva de oxigénio. Quando a hipoxia atinge os músculos, podem surgir cãibras e lesões inflamatórias.

No meio aquático

Na água, a respiração é sempre feita pela boca. A expiração é feita de forma ativa para esvaziar totalmente o ar dos pulmões e poder inspirar mais eficazmente a seguir. O tempo de expiração é, deste modo, até duas ou três vezes superior ao da inspiração.

Outra particularidade da respiração em meio aquático reside na coordenação entre os movimentos e a respiração. Seja em bruços, crol, mariposa ou costas, os momentos da expiração e da inspiração devem estar sincronizados com os movimentos dos braços e das pernas.

A respiração tem, efetivamente, uma grande influência sobre:

- A técnica de natação
- A flutuabilidade
- O equilíbrio e o alinhamento do corpo na água
- A propulsão e o esforço muscular
- A hidrodinâmica e as resistências à progressão

Já não pode agora dizer que não sabia. Por isso, tire a cabeça da água e: Respire!

A importância da respiração na natação

Sandrine

Vendedora secção natação Decathlon CAMPUS (Lille)

Lembre-se de lavar o seu fato de banho de natação com água corrente após cada utilização!