POR QUE MOTIVO E COMO USAR UMA CORDA DE SALTAR?

Um pequeno acessório com inúmeros benefícios: queimar calorias e gorduras, esculpir o seu corpo, melhorar o seu cardio e a sua resistência… Descubra os segredos aqui!

Não parece, mas a corda de saltar esconde vários benefícios, seja para trabalhar o cardio, queimar calorias e gorduras, tonificar os seus músculos, para o seu equilíbrio e coordenação, e até mesmo para tudo ao mesmo tempo! Descubra aqui as vantagens de usar a corda, bem como os nossos conselhos para como usá-la corretamente e em segurança.

1

Quais os benefícios da corda de saltar?

É prática!

 

Mesmo antes de abordar os benefícios para o seu corpo, a corda de saltar é, antes de mais, muito prática. É pequena e, por isso, fácil de transportar. Trata-se de um acessório e, por isso, o seu preço mantém-se razoável e não precisa de fazer sessões muito compridas para sentir os benefícios. Dá vontade de ficar a saber mais, não dá?

 

Melhorar o cardio

 

A corda permite, antes de mais, trabalhar o cardio e a resistência. Se fizer sparring (combate) com um parceiro, em que se deve aguentar vários rounds, ou mesmo se fizer uma sessão de cardio-boxing com um saco de boxe, o cardio é muito rapidamente solicitado. Aguentar-se garante um maior prazer na prática.

 

A corda de saltar estimula rapidamente o seu ritmo cardíaco e ajuda, por isso, a fortalecer o coração. Trata-se também de um exercício fraccionado, ou seja, uma atividade intensa seguida de um período de recuperação, exatamente como no caso do boxe ou do cardio-boxing. Alternar intensidade e recuperação é muito eficaz para melhorar a resistência e a capacidade de recuperação após o esforço.

 

Esculpir o seu corpo

 

Uma outra vantagem não negligenciável da corda é o facto de ela ajudar a esculpir o seu corpo. Um exercício cardio como a corda de saltar é uma excelente forma de queimar calorias, incluindo as que estão armazenadas sob a forma de gordura.

 

Dado que o ritmo cardíaco e a respiração aumentam, todos os músculos são solicitados porque precisam de oxigénio. A corda de saltar é, por isso, uma atividade muito completa que permite trabalhar vários músculos ao mesmo tempo. Isto permite, por isso, tonificar todo o seu corpo: os ombros, os braços, o tórax, os abdominais, as costas, os glúteos, as coxas e os gémeos! Algumas cordas, como as que são vendidas na nossa área de boxe, incluem lastros nas pegas para que os músculos sejam ainda mais solicitados.

 

Benefícios adicionais escondidos!

 

Nem sempre se pensa nisso, e isso interessa a toda a gente, mas a corda de saltar pode também contribuir para lutar contra a celulite. Os saltos movimentam a pele, atuando como uma massagem nos tecidos e favorecendo assim a circulação sanguínea nas zonas afetadas.

 

Por fim, tem também efeitos benéficos e não negligenciáveis na sua postura, no seu equilíbrio e na sua coordenação. É um exercício em que é preciso saltar em ritmo com a corda. Para isso, uma boa postura (ver mais abaixo), o equilíbrio e a coordenação são imprescindíveis. Deve também saltar em ponta de pé, para auxiliar a agilidade se fizer combates. Como tudo, quanto mais saltar à corda, mais natural isso será e ficará com os bons automatismos.

2

Praticar corretamente = praticar de forma segura e nas condições adequadas

Para aproveitar os benefícios da corda, há regras de base a respeitar para garantir uma prática em segurança.

 

Antes de mais, tem de saber que saltar à corda é uma atividade intensa que faz rapidamente subir o ritmo cardíaco. Por isso, tem de ter um mínimo de condição física. Não salte à corda sem consultar previamente um médico e pare imediatamente se sentir dores ou um mal-estar.

 

É também muito importante começar progressivamente, em função da sua condição física, e observar sistematicamente um tempo de recuperação suficiente entre cada série de saltos. Isto pode parecer evidente, mas respire regularmente sem bloquear a respiração: é muitos vezes um erro de principiante. Dada a intensidade do exercício, tenha sempre algo para se hidratar.

 

É necessário usar calçado de desporto, primeiro para proteger os seus pés da corda, mas também para amortecer os saltos. Evite saltar muito alto para reduzir as ondas de choque. Treine saltar apenas alguns centímetros, o suficiente para deixar passar a corda. A superfície em cima da qual salta deve ser plana para garantir estabilidade, mas não muito dura para se proteger melhor dos choques.

 

Ter a postura adequada é também imprescindível para a prática segura, ou seja, ter a cabeça, o pescoço e a coluna vertebral alinhados. Mantenha também os joelhos fletidos, e salte em cima da ponta dos pés para manter flexibilidade e amortecer melhor os choques.

 

Últimas dicas úteis: alongue antes e depois, não saltar com alguém ao seu lado e, para as mulheres, usar um sutiã de desporto.

AJUSTE DA CORDA
3

Como utilizá-la?

Antes de começar

 

Para a usar adequadamente, deve primeiro ter um mínimo de espaço para a corda poder girar, principalmente acima da cabeça. A corda deve também ser ajustada à sua altura. Para verificar, pouse um pé em cima da corda. As pegas devem chegar à altura das suas axilas. Se a corda for demasiado comprida, pode ajustá-la e cortar a corda a mais se isso possível. Ou pode simplesmente dar nós de cada lado.

 

O ritmo, a coordenação e a postura são cruciais

 

Para usar eficazmente a sua corda, a primeira etapa é encontrar o seu ritmo e coordenar a passagem da corda com os seus saltos. Se for principiante, comece primeiro a saltar sem corda para ajustar a altura dos seus saltos e para encontrar um ritmo adequado. Pode também aproveitar para melhorar a sua postura: alinhamento da cabeça, do pescoço e da coluna vertebral, barriga ligeiramente para dentro, joelhos fletidos ao mesmo tempo que salta em cima da ponta dos pés.

 

Pode então pegar na corda e girá-la ao seu lado numa mão para coordenar os seus pés e a corda. Depois de encontrar o seu ritmo, pode conjugar os dois movimentos.

 

A posição dos braços e dos ombros é também muito importante

 

Quando segura a corda com as 2 mãos, tem também de posicionar os seus braços e os seus ombros. Para os ombros, é bastante simples: eles não devem mexer-se. São os seus pulsos e um pouco os seus antebraços que fazem girar a corda e que determinam o ritmo aos seus saltos.  Os seus cotovelos estão fletidos e próximos do corpo. Os seus pulsos estão afastados do corpo, à altura da anca e ligeiramente à frente da bacia.

 

Progrida ao seu ritmo

 

A duração da sua série de saltos depende realmente da sua condição física. Mais uma vez, progrida progressivamente, ao seu ritmo e sem forçar. Trata-se de um exercício cardio, pelo que uma respiração regular é muito importante. Observe sempre um tempo de recuperação entre cada série de saltos e lembre-se da hidratação.

 

As várias técnicas de salto

 

O aspeto crucial a reter é dar um salto por cada passagem de corda (exceto para a técnica do salto duplo).

 

Comece pelo salto de base. É a técnica que tem obrigatoriamente de aprender se for principiante. Tem de saltar com os 2 pés ao mesmo tempo para encontrar o seu ritmo e controlar a sua coordenação com a corda de saltar. Dado que se trata da técnica mais simples, permite-lhe também concentrar-se na sua respiração e, logo, gerir melhor o seu esforço em função da sua condição física. Se, no início, apenas optar por esta técnica, já é muito bom e muito eficaz. O domínio das bases é essencial antes de experimentar exercícios mais complexos.

 

Quando se sentir mais à vontade e se a sua condição física o permitir, poderá variar os exercício e o ritmo, com saltos mais técnicos. No entanto, para todas as técnicas, comece sempre pelo salto de base para entrar no ritmo. Pode depois mudar de salto. Eis os saltos mais conhecidos:

 

O salto de boxe: deve saltitar (não muito alto em relação ao chão) de um pé para o outro. Pode saltar várias vezes no mesmo pé antes de mudar de pé.

 

O salto de corrida: muda de pé a cada passagem da corda, como se estivesse a correr.

 

O salto lateral: salte com os dois pés ao mesmo tempo, começando pelo salto de base e, depois, à direita e à esquerda e assim sucessivamente a cada passagem da corda.

 

O salto duplo: a ideia é fazer 2 passagens da corda a cada salto. Para isso, é necessário saltar um pouco mais alto.

SALTO DE BASE

Quanto mais experimentar, mais natural será

Como para qualquer atividade, a prática garante o domínio do gesto. Se for principiante, terá de ter alguma paciência, mas se se concentrar no salto de base, irá progredir mais depressa e divertir-se mais.

 

Divirta-se!

ESTES CONSELHOS PODEM INTERESSÁ-LO

VOLTAR PARA O TOPO