DESCUBRA O LÉXICO DA EQUITAÇÃO 

Lazão, oxer, paddock, esporins... Essas palavras são chinês para si?
Descubra o nosso léxico para conhecer o significado dos termos relacionados com a equitação! 

A

Abordagem

Zona de aproximação de um obstáculo onde o cavalo executa nomeadamente a sua chamada para o salto. É nesta zona que o cavaleiro determina geralmente se se encontra a uma distância correta ou a uma distância incorreta do obstáculo. No primeiro caso, o salto correrá em princípio bem; no segundo caso... Seja o que Deus quiser!

 

Lazão

Cavalo que apresenta um pelo e uma crina de cor castanha relativamente clara.

 

Cadência 

A cadência é o ritmo a que se desloca o cavalo. As mais clássicas são o passo, o trote e o galope, podendo existir variações nestas três cadências (trote largo, galope concentrado, etc.)

 

Assento

Não tem nada a ver com almofadas... O assento é a capacidade do cavaleiro para se manter em sela e acompanhar os movimentos do cavalo com a bacia. O assento exige equilíbrio e desenvolve-se trabalhando e praticando durante muitas sessões em sela (os adbutores acabarão por ser reforçados...).

Ajudas

As ajudas do cavaleiro são essencialmente as pernas, as mãos, assento (ver "assento") e a voz. São o meio que permitem ao cavaleiro transmitir as suas diferentes indicações ao cavalo. Algumas montadas são sensíveis a estas indicações, outras são menos sensíveis, do género: "vai falando, que já te atendo".

B

Ligaduras de trabalho ou de repouso

Longas tiras de tecido, nalguns casos elásticas, que se enrolam entre o boleto e o joelho do cavalo, com um tecido de flanela por baixo, no caso das ligaduras de repouso. As ligaduras de trabalho permitem proteger os membros do cavalo durante o trabalho e as ligaduras de repouso permitem aliviar os membros na fase de repouso.

Sela de pónei

Sela pequena, geralmente destinada a póneis, que permite aos cavaleiros mais pequenos ficarem melhor instalados no cavalo. E praticar de forma mais segura e tranquila.

Baio

Cavalo com pelo castanho e crina preta (além de bonito, não adere a sujidade).

Arreios

Os arreios, que são o conjunto dos aparelhos que permitem ao cavaleiro controlar o cavalo, comportam uma embocadura, duas argolas, uma cabeçada e duas rédeas. São utilizados na disciplina de dressage, menos comuns nas outras disciplinas, e permitem baixar a cabeça do cavalo.

Calçamentos

Marcas brancas que muitos cavalos apresentam nos membros. Os calçamentos podem ser comparados a meias nos cavalos.

Toque

Mais vale prevenir do que remediar: o toque, também designado de capacete se não tiver revestimento aveludado, visa proteger a cabeça do cavaleiro em caso de queda (a equitação é uma profissão que também tem os seus riscos...)

Cardoa 

Uma escova que serve, precisamente, para escovar o cavalo. A cardoa é uma escova clássica, com cerdas relativamente duras, normalmente utilizada depois da passagem da almofaça.

 

C

Ferro de cascos

É utilizado para limpar a sola, a ranilha e remover os corpos estranhos do pé do cavalo.

Cobrejão quente e cobrejão leve

Para interior ou para exterior, a sua finalidade é proteger o seu cavalo do frio. Existem modelos de várias espessuras, incluindo modelos impermeáveis.

Peitoral-gamarra

É uma peça de arreio. O peitoral-gamarra coloca-se no peito do cavalo e permite impedir a sela de recurar.

Picadeiro

Um terreno de treino no exterior, geralmente, delimitado por uma cerca de madeira.

Proteções de cascos

Proteção que cobre parte do casco do cavalo e serve para preservar os glomos, situados na parte de trás de pé.

Concurso completo 

Disciplina olímpica que combina obstáculos, dressage e crosse (aproveito a ocasião para mencionar a medalha de ouro conquistada nessa disciplina pela equipa de França nos JO do Rio de Janeiro. Um pouco de autoelogio nunca fez mal a ninguém).

Cavaletti 

Os cavaletti, não confundir com cannelloni, famoso prato italiano, são pequenos obstáculos de treino constituídos por varas assentes em cavaletes.

D

Desbaste

A primeira etapa do ensino de um cavalo. O trabalho começa geralmente com guia e, mais tarde, em sela! O desbaste é uma etapa importante que deve ser realizada com calma e sem precipitações. Mas ninguém está livre de uma eventual sessão de rodeo!

Reto

Obstáculo com 1 barra.

Furta

Situação em que o cavalo não quer colaborar e decide passar ao lado do obstáculo em vez de o saltar obedientemente. Também existem cavalos desobedientes...

Dressage

Disciplina olímpica em que no fim ganha sempre a Alemanha.

E

Rédeas

Elementos de arreio com múltiplas formas, utilizados no trabalho a pé, com guia ou em sela. As rédeas servem para melhorar a atitude do cavalo, mas devem ser utilizadas de forma adequada, sem condicionar o cavalo além do necessário.

Embocadura

Falamos geralmente de "bridão". É uma peça em metal, borracha ou resina que se coloca na boca do cavalo e através da qual o cavaleiro comunica para com a sua montada.

Almofaça

Escova sem cerdas que permite remover o pó depositado na base do pelo do cavalo. Utilizada com movimentos rotativos, permite limpar o cavalo e oferecer-lhe uma excelente massagem (coça-me o pelo...). Deve ser passada depois da cardoa para uma limpeza completa.

Esporins

Peça metálica situada acima do calcanhar e destinada a reforçar a ação de perna. Tal como os arreios, os esporins devem ser usados de forma adequada e apenas por cavaleiros que controlam bem a ação de perna.

F

Cabeçada

Arreio que se coloca diretamente na cabeça do cavalo e comporta apenas uma embocadura. É mais ou menos o equivalente ao volante e aos travões.

Figuras

As figuras designam diferentes exercícios de condução que demonstram o domínio e controlo do cavalo por parte do cavaleiro. As mais conhecidas são a mudança de mão, a diagonal, a volta, a meia-volta, a meia-volta inversa, a serpentina, o oito... Na dressage, as figuras correspondem a movimentos técnicos executados durante um esquema. A pirueta ou o piaffe, que já exigem um bom nível, são dois exemplos.

G

Alcatrão 

Não tem nada a ver com estradas! O alcatrão é um produto destinado a tornar a sola (parte inferior do casco) mais firme e evitar apodrecer. É sempre útil.

Galope 

O galope é uma cadência a três tempos, assimétrica, envolvendo salto e dissociação de movimento. A velocidade média de um cavalo nessa cadência é de 21 a 27 km/h.

Garrote

Parte superior do corpo do cavalo situada no ponto de união entre o pescoço e o dorso. A medição do garrote ao solo, ou "altura ao garrote", é a norma utilizada para determinar o tamanho dos cavalos.

Caneleiras

Em couro, borracha ou plástico, geralmente forradas, as caneleiras permitem proteger a parte inferior dos membros anteriores do cavalo. E evitar assim muitos transtornos.

H

Hackamore

Embocadura que não passa na boca do cavalo, mas que tem uma ação no chanfro (o hackamore assenta na zona acima das narinas do cavalo).

 

Horseball 

O horseball é um desporto coletivo equestre praticado com uma bola munida de seis correias e cujo objetivo é marcar pontos no campo adversário.

Hunter

Disciplina muito popular nos Estados Unidos, em cujas competições são avaliados aspetos como a técnica, o estilo e o desempenho do binómio cavaleiro/cavalo.

I

Isabel

Cavalo com pelo creme e crina preta.

J

Jumping

Termo para designar salto de obstáculos. O jumping pode ser também usado para designar uma competição nessa disciplina.

K

L

Cabeção 

Em tecido ou em couro, o cabeção é um arreio sem bridão, que permite levar o cavalo a passear ou prendê-lo durante a sua limpeza.

 

Guia

Em versão curta, fixa-se no cabeção e permite levar o cavalo à mão ou prendê-lo. Em versão comprida, a guia permite também trabalhar em círculos maiores, com o cavaleiro posicionado no centro.

M

Bridão

(Ver embocadura) - existem diferentes tipos de bridão com múltiplos efeitos na atitude do cavalo (para levantar a cabeça, baixar a cabeça...).

 

Gamarra

Fixada na focinheira (parte do cabeção) ou nas rédeas, a gamarra é um arreio destinado a impedir que o cavalo levante demasiado a cabeça.

Picadeiro interior

Pista de treino coberta que permite praticar ao abrigo da chuva quando o tempo está incerto.

 

Polainas

Proteção em couro que cobre parte da perna do cavaleiro quando este monta a cavalo. Não confundir com as caneleiras, que servem para proteger os membros do cavalo durante o trabalho.

 

N

O

Oxer

Tipo de obstáculo constituído por dois planos em largura.

Obstáculo

Composto por barras, pode ser móvel. É utilizado na disciplina de salto de obstáculos. Os obstáculos podem apresentar-se sob a forma vertical (um só plano), de oxers (dois planos) ou de spas (vários planos). Na disciplina de crosse, nos concursos completos, os obstáculos são fixos e assemelham-se a troncos de árvore, fossos de água e outras dificuldades do género.

P

Protege-boletos

Desempenham a mesma função das caneleiras, mas destinam-se aos membros posteriores do cavalo (ver definição de "caneleiras").

Paddock 

Atenção, este termos pode ter vários sentidos! Numa competição, paddock designa uma pista de aquecimento para os cavaleiros e os cavalos, mas pode ser também um espaço de maiores ou menores dimensões, com cerca, que permite manter o cavalo em liberdade. O cavalo fica normalmente satisfeito quando ouve falar em paddock...

 

Poney-games

Trata-se de um desporto equestre praticado com pónei ou cavalo, em equipa (4 ou 5 cavaleiros), a pares (2 cavaleiros) ou individualmente (1 só cavaleiro). Consistem em jogos praticados em linha ou à vez.

Passo

O passo é o ritmo mais lento cavalo, que é executado a quatro tempos de duração idêntica (a uma velocidade de cerca de 7 km/h).

Pónei

O pónei é um cavalo de pequeno tamanho. Qualquer cavalo com uma altura ao garrote inferior a 1,50 m (ou 1,51 m com ferraduras) é classificado como "pónei".

Limpeza

A limpeza inclui os cuidados do cavalo. A limpeza é o momento em que o cavaleiro ou tratador escova o pelo do cavalo, desembaraça a crina, trata e cuida dos cascos, entre outros procedimentos e, em suma, apaparica o cavalo.

Q

R

Receção

Contacto com o solo na finalização de um salto. Após a receção, alguns cavalos não hesitam a manifestar o seu contentamento pela proeza do salto através de coices...

Recusa

Ao passo que na furta o cavalo contorna o obstáculo, na recusa, o cavalo para bruscamente à frente do obstáculo. Do género "não, nem pensar em saltar". Não vale a pena insistir". Consegue ver a ideia?

S

Cilha

Faixa grossa em couro que passa por baixo da barriga do cavalo e permite fixar a sela no seu dorso. Os cavaleiros que, alguma vez, não tenham apertado corretamente a cilha ainda guardarão memória desse dia.

Sela

A sela é o acessório colocado no dorso do cavalo onde se senta o cavaleiro.

T

TREC

Técnicas de Passeio Equestre de Competição. Nesta disciplina, o binómio cavaleiro/cavalo deve realizar uma prova de apresentação, uma prova de domínio das cadências, um percurso de orientação e de regularidade e outro de terrenos variados.

Trote

É um andamento simétrico a dois tempos separados por um tempo de suspensão em que o cavalo progride por bípedes diagonais. A velocidade média de um cavalo nesse andamento é de 14 km/h

U

V

Atrelado

Atrelado para o transporte de cavalos.

Vertical

É um obstáculo constituído por um só plano vertical. O reto, a barreira, o muro ou a sebe são alguns exemplos.

Volteio

Disciplina que consiste em executar figuras num cavalo com guia a galope.

W

X

Y

Z

FALTA-LHE A DEFINIÇÃO DE UM TERMO E O SEU LÉXICO ESTÁ INCOMPLETO? ENVIE-NOS UM COMENTÁRIO COM O TERMO EM FALTA PARA O ADICIONARMOS À NOSSA TERMINOLOGIA!

DESCUBRA A NOSSA SELEÇÃO DE CONSELHOS:

VOLTAR PARA O TOPO