O GLOSSÁRIO DO CANYONING

O vocabulário utilizado no canyoning é bastante específico e com inúmeras abreviações. Este glossário vai ajudá-lo a perceber melhor os termos técnicos e permitir-lhe comunicar e perceber os termos utilizados e que poderá ouvir durante uma saída.

A

ANCORAGEM

Elemento metálico (pitons, bloqueadores, cavilhas, pinos, cimentação...) fixo na rocha que permite a amarração.

AMARRAÇÃO

Natural (árvore, lunula, bloco...) ou artificial, é um ponto "sólido" que permite assegurar a progressão (descida em rappel, mão deslizante, guia...).

B

O

CORDA SEMI-ESTÁTICA

Corda utilizada em canyoning e espeleologia para a deslocação e progressão em corda.

Cxx

Corresponde a uma cascata de xx metros. Por exemplo C15 = Cascata de 15m.

CONETORES

Mecanismos que se podem abrir e permitem aos escaladores ligar-se direta ou indiretamente a 1 ponto de ancoragem (mosquetão, mosquetão de segurança, elo rápido, …).

CAF

Clube Alpine Francês

D

DEDO (DO MOSQUETÃO)

Parte pivotante do mosquetão que permite a sua abertura.

CURVA APERTADA

Movimento de água potencialmente perigoso caraterizado pela pressão de uma corrente horizontal contra um obstáculo.

EQUIPAMENTO DESCIDA

Sistema de travamento utilizado principalmente na descida.

MEIO-CAB'

Nó Cabrestante, também chamado de nó italiano.

DESENGATE

Carateriza a corda de rappel que pode deslizar se necessário em tensão.

e de

EPI

Equipamento de Proteção Individual: Qualquer dispositivo destinado a ser transportado ou utilizado por uma pessoa com o objetivo de a proteger contra um ou vários riscos suscetíveis de ameaçar a sua segurança.

ESCAPATÓRIA

Itinerário mais ou menos acessível que permite sair antecipadamente de um canyon.

F

G

H

Arnês

Equipamento que permite ligar o escalador à sua corda. O termo « baudrier » é frequentemente utilizado para designar o arnês.

I

D

K

CONJUNTO BOLA® OU CONJUNTO CORDA AUXILIAR

Pequeno conjunto flutuante concebido para conter unicamente a corda, pode ter eventualmente várias aberturas. Nome comercial da empresa "Résurgence".

A

Guia

Objeto em corda ou correia com um conector numa das extremidades. Permite ligar-se (ou fixar-se ) em qualquer ponto de ancoragem ou de amarração.

M

MOLINETE

Ação de fazer descer um parceiro não equipado de um descensor, doseando você mesmo a velocidade de descida.

mosquetão

Conetor metálico cuja resistência é assegurada pelo fabricante em função da utilização. A abertura é feita pelo dedo pivotante voltando, em princípio, sozinho à posição fechada.

MARMITA

Bacia circular escavada pela linha de água.

ELO RÁPIDO

Conetor normalmente mais barato que os mosquetões que se abrem desenroscando uma virola, cuja resistência é assegurada pelo fabricante em função da utilização.

MOSQUETÃO DE ROSCA

Mosquetão de segurança com uma virola que se enrosca ou desenrosca para permitir a abertura do dedo.

MOSQUETÃO DE SEGURANÇA

Mosquetão com um sistema de virola que permite evitar a sua abertura inoportuna.

v

O

P

PEDAL

Estribo feito com uma corda fina que permite facilitar as manobras nas amarrações pouco cómodas ou durante a subida com corda.

Retentor

Argola metálica ou correia consoante os arneses onde se fixam as guias e o descensor.

Q

R

RAPPEL (DE ÁGUA)

Movimento de água circular com eixo horizontal potencialmente perigoso que podem localizar-se aos pés de alguns ressaltos, trazendo para debaixo da cascata os corpos que flutuam ao seu nível.

Rxx

Corresponde a uma ressalto de xx metros. Exemplo: R5 = Ressalto de 5m (necessita muitas vezes de uma desescalada).

RAPPEL (DESCER EM)

Descida sobre corda com a ajuda de um descensor.

RECOLHIMENTO (DA CORDA)

Ação de trazer a corda até si, em baixo de um ressalto.

RG

Margem Esquerda

RELÉ

Sistema de ancoragem colocado em função do itinerário, dos obstáculos e do seu comprimento, onde os canyonistas podem fracionar a sua progressão.

RD

Margem Direita

Recapitulação

Corda presa a uma amarração que permite ultrapassar um ressalto com a ajuda de um descensor.

RESSALTO

Rutura brutal da encosta da linha de água, onde é necessário adaptar a progressão (utilização de cordas, deslize controlado, salto, desescalada).

S

SIFÃO

Movimento de água potencialmente perigoso onde a totalidade ou parte da corrente passa por baixo de um obstáculo.

Sxx

Corresponde a um possível salto de xx metros. Exemplo: S4 = Salto de 4m.

CORREIA

Tecido sintético plano e largo cuja resistência à rutura é assegurada pelo fabricante.

T

TOBOGGAN

Ressalto cuja forma, inclinação, altura e zona de receção permitem um deslize controlado.

TOPO

Diminutivo de "Topografia". Por extenso, descrição das características do canyon.

Txx

Corresponde a um toboggan de xx metros. Exemplo: T8 = Toboggan de 8m.

U

V

VASQUE

Bacia situada a jusante do ressalto.

W

x

Y

Z

ESTES CONSELHOS PODEM INTERESSÁ-LO :

Conselhos
Benefícios-canyoning
Além de ser uma atividade completa, o canyoning proporciona também inúmeros benefícios ao corpo e ao espírito. É uma verdadeira aventura para partilhar com a família ou os amigos.
Conselhos
Deseja redescobrir a montanha de uma forma única? Gosta de praticar caminhada e não tem medo de se molhar? O canyoning é O desporto indicado para si.
VOLTAR PARA O TOPO