CORRIDA NA NATUREZA OU CORRIDA EM ESTRADA?

Opõe-se frequentemente a corrida em estrada à corrida na natureza ou trail. Se é verdade que cada prática tem as suas especificidades, também têm vários pontos em comum. Eis boas razões para explorar todos os pisos ao correr!

número-1

UNIVERSO DO ASFALTO

São raros os praticantes de corrida principiantes que escolhem o trail desde o início. A aprendizagem do básico da corrida faz-se geralmente nas estradas e caminhos de asfalto ou estáveis. O desenvolvimento das qualidades de resistência ou melhoria da passada são bases que devem ser trabalhadas num piso pouco acidentado ou não acidentado.

Todos conhecem a enorme diversidade de provas cronometradas em estrada, propostas ao longo de todo o ano. Maratonas de 10km, meias-maratonas, ultra-maratonas, corridas reservadas às mulheres ou a adeptos da marcha nórdica: perto de seis milhões de franceses praticam corrida, e uma percentagem cada vez maior desta população ousa passar à corrida em competição. A maratona de 10km e a meia-maratona são as distâncias mais populares.

corrida na natureza
número 2

ESPÍRITO TRAIL

 

O trail é uma prática plena. Vontade de afastar-se dos destinos mais visitados, desejo de ultrapassar constantemente os seus limites, visitando paisagens cénicas: uma filosofia de liberdade e respeito pelo ambiente, integrada na corrida na natureza.

Mas o trail, ao contrário do que pensam os que nunca o praticaram, não é acessível a todos. Requer material específico, que permita especificamente uma autonomia de várias horas (calçado adequado à natureza do piso, vestuário para proteger-se de eventuais intempéries, telemóvel, provisões...).

 

Tal como na corrida tradicional no asfalto ou em caminhos sinalizados, a prática do trail deve avançar respeitando uma verdadeira evolução. Tempo total de esforço e dificuldades dos percursos: nunca se devem esquecer etapas. Pois isso implica correr o risco de passar por experiências particularmente desagradáveis e até mesmo perigosas.

número 3

MUITOS MAIS PONTOS EM COMUM DO QUE DIFERENÇAS…

As pontes entre as duas modalidades são cada vez mais numerosas. É lógico, e direi mesmo saudável, que os praticantes visitem os locais em função dos seus desejos ou oportunidades.

Do lado dos adeptos tradicionais da estrada – ou seja, os praticantes de maratona –, o desvio para o trail é uma forma de se “oxigenarem”, de saírem do modelo de um treino frequentemente milimétrico e ganharem em força (sobretudo quando existe um desnível positivo significativo).

Do lado dos praticantes de trail, a estrada permanece um piso favorável a um trabalho de séries (a famosa preparação física específica) e/ou fracionado (particularmente em pista).

De notar que a estrada é imposta aos praticantes de trail durante as provas organizadas em centros urbanos. Várias cidades propõem agora variações de trails urbanos.

Não há disputa possível entre as duas variações de corrida. Quer sejamos adeptos do asfalto ou do trail, o gesto e a natureza do esforço permanecem fundamentalmente idênticos, ter prazer em correr!

A maioria dos modelos é adequada, incluindo os modelos de competição.

A maioria dos modelos é adequada, excluindo os modelos de competição frequentemente reservados a praticantes de corrida com menos de 75 kg

Nenhum dos modelos é adequado, é importante prestar atenção às especificidades dos modelos e utilizar o filtro de peso do/a praticante de corrida.

Nicolas

CHEFE DE PRODUTO CALÇADO DE TRAIL

Se o material é um elemento-chave na prática do trail, a preparação também é igualmente importante. Não hesite em ver os nossos planos de treino específicos de trail e em seguir os conselhos que lhe propomos

ESTES CONSELHOS PODERÃO INTERESSAR-LHE

VOLTAR PARA O TOPO