COMO LUTAR CONTRA O ENJOO

Pouco importa o seu nível num barco, quer seja novato ou profissional, o skipper Tanguy De Lamotte participante no Vendée Globe, revelou-nos que ele também, por vezes, sofre deste sintoma. Efetivamente, esta patologia não tem qualquer relação com o nível de performance do praticante. Encontrará aqui, neste artigo, alguns conselhos que lhe explicarão como navegar sem sofrer de indisposições devidas ao enjoo.

número -1

DEFINIÇÃO DO ENJOO

Este fenómeno é um tipo de transtorno dos transportes que, no domínio das ciências, também é designado “naupatia”.

O que acontece quando se sente mal corresponde a uma desunião entre aquilo que se vê e o que se sente. O seu corpo sofre com as oscilações do barco que se mexe mas os seus olhos mantêm-se cravados nas diferentes partes fixas do barco. Este fenómeno produz efeitos negativos no seu ouvido interno, provocando sintomas de suores frios, vertigens, membros pesados ou vómitos.

número 2

LUTAR CONTRA O ENJOO: A REGRA DOS 5 « F »

Esta solução é bastante popular entre os praticantes, permite identificar os fatores do enjoo que são o cansaço, o frio, a fome, a sede e o medo.

Perante isto, existem diversas soluções para enfrentar o enjoo, em primeiro lugar uma boa noite de sono, um bom casaco/macacão, uma boa refeição, uma garrafa de água e uma sensação de bem-estar com um programa adequado, assim como condições correspondentes com o seu nível.

número 3

TRATAMENTOS CONTRA O ENJOO

Existe vários comportamentos para ultrapassar as vertigens, com paciência, para que o seu corpo se acomode aos transportes no mar.

 

OLHAR PARA O MAR:

O enjoo é uma perturbação ligada aos transportes, da mesma forma que quando se viaja na estrada, olhar à sua volta alivia, no mar, o princípio é o mesmo quando se está no convés, sente-se um certo alívio ao olhar para o mar.

Esta técnica que consiste em olhar para o mar permite ao organismo entrar em sintonia com aquilo que vê, graças a isso, os efeitos no ouvido interno são menores.

 

EVITAR O QUE PODE PROVOCAR AS NÁUSEAS

Ver pessoas adoentadas, o cheiro a combustível… Efetivamente, aquilo que pode repelir em tempo normal ou que transmite um sentimento de mal-estar deve ser banido a bordo de um barco.

É idêntico em relação às fortes temperaturas da cabine, respirar ar puro é agradável, é preferível permanecer no convés logo que surgem os sintomas.

Manter-se ativo é uma forma de se distrair com outro assunto que não seja o enjoo…

 

ESTAR DESCONTRAÍDO, UM REMÉDIO FACE AO ENJOO

Antes de sair para o mar, quer o percurso seja longo ou curto, é importante estar em forma. Uma boa noite de sono é importante para reduzir os riscos. O cansaço e o stress são elementos que contribuem para o enjoo.

Quando estiver no barco, deve estar o mais relaxado possível, pense noutra coisa, sobretudo não pense em más recordações relacionadas com experiências recentes que se poderiam vir a repetir por força de pensar nelas.

 

número 4

A ALIMENTAÇÃO ANTIENJOO

Do sumo de limão à pastilha elástica passando pelo gengibre, existem vários remédios que vão de encontro aos gostos de toda a gente. A saber: a banana tem o mesmo sabor num sentido de passagem, e no outro…

Face aos tratamentos oficiosos, existem remédios para evitar o enjoo que é muitas vezes proscrito junto dos principiantes.

Os antieméticos, anti-histamínicos e adesivos são de descartar para os navegadores experientes pelos efeitos negativos e secundários relacionados com a navegação profissional.

Para os tratamentos médicos, deve informar-se junto do seu médico, é o único a poder receitar-lhe um medicamento adequado.

número 5

O EQUIPAMENTO ANTIENJOO

Se quiser dispensar os tratamentos médicos, existe material de vela que pode reduzir ou afastar as consequências da navegação sobre o corpo. Estas novidades, tal como os óculos com hastes que integram líquido indicando as trajetórias do barco, permitem que o ouvido interno se adapte à navegação. No entanto, não existe propriamente um teste para demonstrar a performance destes produtos...

RECOMENDAMOS TAMBÉM OS NOSSOS CONSELHOS DE VELA

Conselhos
Hidratação vela
Já ouviu com certeza esta frase e é a doutrina de todo o desportista, qualquer que seja o seu nível: “tem de beber água antes de ter sede e comer antes de ter fome” ! Pensa que está protegido da desidratação quando pratica desportos de água? Engane-se, o vento, a água salgada, o sol e o esforço fazem-no perder imensa água. Então não espere mais para beber um pequeno golo (de água), o seu corpo irá agradecer-lhe, vou explicar-lhe porquê.
Conselhos
Com a chegada do verão, os passeios de barco são cada vez mais frequentes, é agradável beneficiar do ar marinho, do sol ou do calor veraneio para a vela de cruzeiro ou ligeira. Apesar disso e destas circunstâncias paradisíacas, é preciso ser previdente sobretudo em relação à proteção solar. Através deste artigo, explicaremos quais são os gestos corretos para poder lutar contra os perigos dos raios UV.
Conselhos
Mulher praticando vela
O Homem fez-se ao mar para explorar o mundo, contando com a ajuda do vento. Independentemente do destino, a viagem em si valia a pena. Não espere mais e lance-se para aproveitar este espaço de diversão de 360.700.000 km2!
VOLTAR PARA O TOPO