apto

COMO CONSEGUIR BOAS TRANSIÇÕES NUMA PROVA DE TRIATLO

Aí está! Está pronto a participar na sua primeira prova de triatlo e pergunta-se como conseguirá passar de uma disciplina à outra sem perder demasiado tempo? Ou talvez já tenha experimentado o triplo esforço e queira melhorar as suas transições... Este artigo é para si!

De facto, o momento em que se muda de disciplina no triatlo é um momento-chave. Passar da natação à bicicleta na T1 (Transição 1) e da bicicleta à corrida a pé na T2 (Transição 2) de forma fluida e eficaz não é algo que se possa improvisar. É um momento que se prepara e que começa bem antes da corrida! Um bom domínio das transições permite-lhe ganhar uma energia preciosa e poupar segundos no seu tempo final, desde que cumpra as regras instituídas. Consulte o guia!

ANTES DA CORRIDA: TREINE AS TRANSIÇÕES

Para um encadear tranquilo das várias disciplinas no dia D, faça sessões de treino especificamente orientadas para as transições. O mais fácil é encadear a bicicleta com a corrida a pé indo correr alguns minutos após uma saída de bicicleta (ou sessão de home trainer) para habituar as suas pernas à transição. Ao fazê-lo regularmente, verá que a sensação de pernas pesadas no momento do arranque da corrida a pé acabará por desaparecer gradualmente. Se se sentir à vontade e se estiver a treinar para um formato longo, não hesite em prolongar gradualmente as distâncias a pé. O seu corpo estará mais preparado no dia da corrida.

Para se habituar a passar da natação à bicicleta, nada o impede de nadar numa piscina ou na natureza e de continuar com uma sessão de bicicleta ou de home trainer. Também se recomenda encadear a natação e a corrida a pé para habituar o seu corpo a passar da posição horizontal para a vertical, correndo simultaneamente até à zona de transição.

Outra possibilidade é a de trabalhar o encadeamento múltiplo: este treino consiste em fazer uma curta sessão de bicicleta, encadeá-la com uma curta corrida a pé e depois retomar a bicicleta, repetindo a sequência algumas vezes. A praticar com moderação pois este tipo de sessão é intenso e exige muito do organismo.

O DIA DA CORRIDA: ORGANIZE BEM A SUA ZONA DE TRANSIÇÃO

Para realizar transições eficazes e sem stress, é essencial organizar a sua zona de transição, ou seja, o local no parque de bicicletas onde irá guardar todos os seus pertences antes da corrida. Essa é uma pequena zona que deve ser otimizada ao máximo e estar bem organizada para lhe permitir perder o menor tempo possível no momento da transição.

Recomendo que coloque o calçado de bicicleta e o da corrida a pé sobre uma pequena toalha (é mais confortável quando chega com os pés molhados na T1). Pouse o capacete aberto sobre o guiador da bicicleta usando a correia jugular. Coloque também os seus óculos e a cinta porta-dorsal para conseguir aceder-lhes facilmente quando regressar da natação. Se estiver muito calor, coloque um boné e uma garrafa de água ao lado das suas sapatilhas, para se borrifar durante a corrida a pé.

Se estiver à vontade, poderá fixar o calçado de bicicleta diretamente aos pedais na posição horizontal com um elástico, de forma a conseguir enfiá-lo enquanto pedala. Abra bem as sapatilhas para facilitar a introdução do pé. Atenção, esta técnica exige um pouco de prática!

Por fim, identifique exatamente o seu espaço no parque de bicicletas antes de partir para a linha de partida, pois só assim evitará perder-se quando sair da água. Para isso, escolha uma referência visual no parque ou conte o número de filas.

trans

T1: DA NATAÇÃO À BICICLETA, HÁ QUE SE ORGANIZAR

Assim que sair da água, abra o fecho do fato de neoprene para descomprimir o peito e estar mais à vontade para correr até à área de transição. Pode mesmo retirar a parte superior enquanto corre, ganhando assim algum tempo quando chegar à zona de transição. Dispa o fato e pouse-o sobre a toalha de forma a não criar obstáculo nas zonas de passagem.

Em seguida, calce as sapatilhas, coloque a cinta porta-dorsal (com o dorsal para trás), o capacete (feche bem a correia jugular!) e os óculos e empurre a bicicleta até à linha de partida do percurso de bicicleta! Tenha o cuidado de apenas subir para a bicicleta depois de passar a linha branca. Os árbitros estão atentos e poderão penalizá-lo se subir antes da linha.

Hidrate-se antes de partir ou assim que subir para a bicicleta, coma uma barra de cereais se sentir necessidade.

T2: DA BICICLETA À CORRIDA A PÉ, ÚLTIMA LINHA RETA!

Concluído o percurso de bicicleta, desça da bicicleta ainda antes de chegar à linha branca para depois se posicionar na sua zona de transição. Em seguida, arrume a bicicleta na sua zona de partida.

Cuidado para não tirar o capacete antes de chegar à sua zona; os árbitros estão atentos e não está ao abrigo de uma sanção!

Se pedalou com sapatilhas de bicicleta, é altura de calçar as sapatilhas de corrida, idealmente equipadas com atacadores elásticos que permitem enfiá-las rapidamente. Coloque o dorsal virado para a frente e comece a correr a um ritmo confortável para a corrida a pé.

Não hesite em hidratar-se e em consumir um gel antes de partir se sentir que precisa de uma dose de energia para a corrida a pé. A última linha reta é agora. Pode dar tudo por tudo!

Certamente já percebeu que o encadear das disciplinas, uma característica bem específica do triatlo, necessita de uma certa preparação e de uma boa dose de capacidade de antecipação para executar a prova com a maior serenidade possível.

cha

CHARLOTTE

Apaixonada pelo desporto, pratiquei dança durante muito tempo antes de descobrir o triatlo, que se tornou uma verdadeira adição desde a primeira prova! Adepta das distâncias Sprint e Olímpico, adoro a variedade que este desporto proporciona, quer ao nível da prática, quer do ambiente no qual me faz evoluir. O triatlo é sempre uma combinação de bons desafios e momentos de grande prazer!

VOLTAR PARA O TOPO