Como funciona um sensor cardio ótico?

Como funciona um sensor cardio ótico?

A frequência cardíaca é um dos indicadores mais fiáveis para avaliar a sua condição física
e a tecnologia do sensor cardio ótico é o mais recente instrumento de medição.
Descubra como funciona um sensor cardio ótico e, como bónus, respondemos às 5 perguntas que colocar sobre esta tecnologia!

Como funciona um sensor cardio ótico?

Sob a pele, o sensor cardio!

O sensor cardio ótico funciona através de um ou vários LED que emitem luz e de um sensor que recebe o sinal luminoso: o princípio de base do sensor cardio ótico consiste em fazer passar a luz através da pele.

A nossa pele é constituída por três camadas distintas: a hipoderme, a derme e a epiderme.

A derme é vascularizada, contendo inúmeros capilares cheios de sangue. Quando o coração bombeia o sangue, modula ligeiramente a quantidade do sangue presente na derme.

O princípio consiste portanto em enviar luz verde ao coração dos capilares. Em função do nível de luz refletida, o sensor será capaz de determinar o afluxo de sangue e, consequentemente, a frequência cardíaca.

Com efeito, esta luz foi selecionada especificamente para ser absorvida pelo sangue. O sangue pulsado para os capilares modula esta luz, a qual é refletida pela pele e captada pelo relógio cardio.

Este tipo de medição é designado como fotopletismografia (PPG).

O sinal é depois tratado por algoritmos que separam o ruído de medição da frequência cardíaca. Os resultados variam portanto em função da atividade realizada.

5 Perguntas sobre o sensor cardio ótico

O sensor cardio ótico é adequado a todos os desportos?

Os algoritmos que analisam os dados do sensor de luz são otimizados para atividades com movimentos reproduzíveis, como a marcha, a corrida e a natação.

Na maioria dos produtos, a precisão da frequência cardíaca não é garantida para atividades como a musculação e o fitness. Em função do produto utilizado, o erro de leitura da frequência cardíaca pode atingir os 20 a 30 bpm em relação ao cinto cardio.

O sensor cardio ótico é menos preciso do que o cinto cardio?

A tecnologia utilizada no cinto cardio permite medir a atividade elétrica do coração. Por este motivo, é precisa. Em contrapartida, a tecnologia ótica é um pouco menos precisa pois não é uma medição direta. Além disso, é fortemente influenciada pelo movimento e depende dos algoritmos utilizados.

Deste modo, os sensores cardio óticos não são tão eficazes: os melhores oferecem, ainda assim, uma precisão média aproximada de 2 bpm, em comparação com os cintos cardio nos exercícios de corrida. São contudo muito apreciados pelos praticantes de corrida, pois evitam o incómodo dos cintos cardio (conforto, peso, etc.).

O sensor cardio ótico funciona sobre todos os tipos de pele?

Na maioria dos produtos disponíveis, a eficácia dos sensores não difere em função da cor ou da pilosidade da pele. Contudo, nas peles mais escuras, a quantidade de luz refletida pela pele é menos significativa. Nestes casos, a maior parte dos sensores adapta-se ao emitir mais luz ou ajustando a sensibilidade do sensor de luz.

É contudo possível que o sensor tenha mais dificuldades em pele tatuada: a tinta injetada na derme pode afetar o desempenho do sensor de cardio ótico. Neste caso, poderá usar o relógio no outro pulso ou optar por utilizar um cinto cardio!

Como usar um sensor cardio ótico?

Para garantir uma medição de alta qualidade, o sensor cardio ótico deve ser usado no pulso, após o osso saliente.

O sensor deve ficar em contacto com a pele, o que significa que a bracelete deve ficar ligeiramente apertada, sem se tornar desconfortável. O seu sensor cardio ótico terá um grau de eficácia inferior se a bracelete ficar demasiado larga.

O material que constitui a bracelete do seu relógio cardio ótico foi especificamente selecionada para garantir suporte e conforto durante a atividade física, tendo em conta o facto de o punho aumentar ligeiramente de volume durante a sessão desportiva.

Existe algum risco em usar um sensor cardio ótico?

Excetuando algum caso de alergia ao material que constitui o verso do relógio, não há qualquer risco em usar o sensor cardio ótico.

Para ir mais longe...

A maior parte dos relógios cardio óticos estão também equipados com funcionalidades como o treino fracionado, para melhorar e variar os seus exercícios de treino!