COMO ESCOLHER AS SAPATILHAS DE DANÇA?

Para rodar, rodopiar e controlar as piruetas e entrechats, é melhor que se sinta perfeitamente confortável nas sapatilhas e escolhê-las corretamente… Siga o guia!

cc sapatilhas dança clássica

As sapatilhas de dança são parte integrante da/o bailarina/o, seja principiante ou experiente. Além disso, cada um tem as suas preferências em termos de cores, materiais ou até de solas. O importante é experimentar!

Vários critérios

Os praticantes principiantes, intermédios e experientes, consoante os seus gostos e a forma de praticar, não fazem as mesmas escolhas de sapatilhas de dança: vários fatores - solas, materiais ou cores - entram em linha de conta. No início, as meias-pontas são as suas aliadas nos pisos de dança de madeira ou linóleo. Depois, no caso dos mais assíduos, as pontas realçarão os arabesques e os cabrioles. Aqui estão algumas dicas para o/a orientar o melhor possível para que possa usufruir de uma verdadeira segunda pele!

cc-sapatilhas-dança-clássica

Completamente estável com solas inteiras

É a Alix Scarano, engenheira de produto da Domyos que nos vai dar umas luzes. Segundo a Alix, um dos primeiros critérios de escolha é o tipo de solas. “Geralmente, recomenda-se aos principiantes que optem por sapatilhas com solas inteiras para que os pés estejam bem planos e não descaiam para o lado. Assim, os(as) bailarinos(as) conseguem mais estabilidade.” Além disso, as sapatilhas com solas inteiras requerem que o praticante faça um pouco mais de força para fazer a ponta: “isto contribui à partida para muscular mais o pé, continua a Alix. Mas sempre com base nas recomendações do professor, naturalmente”.

Solas duplas, a flexibilidade

Quanto às sapatilhas de sola dupla, que apresentam pequenas solas à frente e atrás, garantem mais flexibilidade. Mas menos estabilidade do que umas sapatilhas com sola inteira. “A sola dupla é ideal quando o tornozelo do(a) bailarino(a) é um pouco mais musculado e o seu nível de prática é um pouco mais avançado. Uma vez mais, cabe ao professor dar as indicações nesta matéria…

Couro ou tecido?

Depois deste primeiro dilema, terá depois de decidir o material das sapatilhas: couro ou tecido? O primeiro tem a vantagem de ser mais resistente a longo prazo e de sofrer desgaste menos facilmente. As sapatilhas de couro são inicialmente menos flexíveis, mas ao longo do tempo vão-se amaciando para se adaptarem ao pé. Quanto ao tecido, tem a vantagem de permitir a adaptação imediata da sapatilha ao pé. “Adapta-se perfeitamente à morfologia do(a) bailarino(a) e revela-se muito flexível imediatamente", refere a Alix. “Ao contrário do couro, o tecido, em contrapartida, vai desgastar-se mais rapidamente ao longo do tempo. Mas depende sempre de como o praticante se sente. Alguns dançam toda a vida com sapatilhas de couro e outros não dispensam as de tecido.

Segunda pele

Quanto ao tamanho, obviamente é necessário experimentar as sapatilhas: devem adaptar-se à morfologia do pé como uma segunda pele. “O ponto de partida é o tamanho do utilizador verificando se o conforto está garantido. A variedade de morfologias faz com que se deva sempre experimentar.” Mais uma vez, quanto ao material, é uma questão de como se sente. As sapatilhas de solas inteiras possuem um elástico cosido ou para coser, enquanto as solas duplas possuem dois elásticos de um lado e de outro que se devem cruzar em cima do peito do pé do bailarino.

cc sapatilhas dança clássica

As pontas, com a opinião do professor

Dançar em pontas é obviamente o objetivo de qualquer apaixonado pela dança clássica. Isto requer muito treino e muita técnica. “As pontas praticam-se a partir de um certo nível”, afirma Alix Scarano. “Cabe ao professor, na grande maioria dos casos, indicar ao seu aluno se está preparado para trabalhar em pontas. Esta prática requer um certo nível de conhecimento e, uma vez mais, as pontas devem ser experimentadas com o professor para verificar se correspondem à morfologia do pé do bailarino.”

Os gostos e as cores...

Por fim, as cores também podem pesar na escolha: as meias-pontas em geral estão disponíveis na cor salmão, rosa e preto. “As escolas e os conservatórios podem impor alguns códigos de cores”, explica a Alix. “Geralmente, para iniciar a prática, as meninas escolhem o rosa e os rapazes o preto. No entanto, o preto também tem muito sucesso junto das bailarinas… No geral, a mais clássica e a mais vendida continua a ser a cor salmão. No fim de contas, é uma questão de gosto.”

Agora já tem as informações todas no que respeita à escolha das sapatilhas de dança! Alguns critérios dependem da técnica e do conforto, mas quanto ao resto tem carta branca… A ideia é, claro, encontrar as sapatilhas mais adaptadas e confortáveis que lhe permitam superar-se na barra ou no centro da sala de dança.

 

Que tipo de sapatilhas usa? De couro ou tecido? Solas inteiras ou solas duplas?Partilhe as suas experiências!